terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Adamir Gerson e Pastor Ariovaldo Ramos


ADAMIR GERSON E O PASTOR ARIOVALDO RAMOS
“Dá ao sábio e ele se tornará ainda mais sábio. Transmite conhecimento a alguém justo e ele aumentará em erudição” Provérbios 9.9

A QUESTÃO DO COMUNISMO SOVIÉTICO E DO REINO DE DEUS

“2- O outro referencial da Teologia da Missão Integral é a recuperação da noção do Reino de Deus e sua justiça, a ideia de que o Reino de Deus é um outro sistema que se opõe ao sistema vigente, que se opõe ao sistema capitalista e ao sistema soviético. É um outro sistema que vem não para estar ao lado dos sistemas em pauta, mas para substituí-los, para erradicá-los. Isso aparece no profeta Daniel que, quando responde ao sonho de Nabucodonosor, fala sobre a pedra que é lançada por mãos não humanas contra a estátua. A estátua, no sonho de Nabucodonosor, sintetiza todas as tentativas humanas de resolver o problema humano sem considerar a hipótese de Deus ou sem considerar a revelação de Deus, tudo o que os homens tentaram em todos os níveis: o feudalismo, o capitalismo, o comunismo; está tudo lá na estátua. E a pedra é o Reino de Deus, que vem e derruba a estátua, triturando-a, desfazendo todos os componentes da estátua até transformá-la em pó, pó que é varrido pelo vento de modo que da estátua não fica nem lembrança, e a pedra cresce, alarga-se e toma toda a terra, ou seja, uma nova realidade assume o controle da história e essa nova realidade é o Reino de Deus”.


A postagem acima é assinada pelo Pastor Ariovaldo Ramos, um dos expoentes da Teologia da Missão Integral afim com a Teologia da Libertação. E é preciso esclarecimentos porque Pastor Ariovaldo Ramos ao conceber estas palavras passa a imagem de ser um profeta ao serviço de Deus, como foram Moisés, Isaías ou o próprio Jesus. Mas Pastor Ariovaldo Ramos, apesar de que mantém um contato e diálogo com o Marxismo, todavia não é de modo algum este profeta. É Ministro da Palavra de Deus, e dos mais brilhantes, mas está longe, muito longe de ser profeta. Não obstante esta pérola saída do espírito do Pastor Ariovaldo, que sem ela não se compreende Deus e não se entra no reino dos céus – E a pedra é o Reino de Deus, que vem e derruba a estátua, triturando-a, desfazendo todos os componentes da estátua até transformá-la em pó, pó que é varrido pelo vento de modo que da estátua não fica nem lembrança, e a pedra cresce, alarga-se e toma toda a terra, ou seja, uma nova realidade assume o controle da história e essa nova realidade é o Reino de Deus – mesmo assim a distância que separa o Pastor Ariovaldo Ramos de um profeta é a distância que vai da Terra ao centro da Via Láctea.

Por que o Reino de Deus se opõe ao capitalismo e ao comunismo soviético? Pode-se emparelhar o comunismo soviético com o capitalismo os jogando na mesma vala comum como faz Pastor Ariovaldo Ramos cortando pela raiz qualquer possibilidade dos marxistas um dia se interessar pela Palavra de Deus? Pior, inviabilizando a própria Palavra de Deus que assegura, garante peremptoriamente, a conversão do povo marxista (Isaías 66.14, Mateus 25.40, João 10.16, Apocalipse 14.4, sem falar de Isaías 18 que ao ter visionado para o tempo do fim – E naquele tempo – um povo de elevada estatura e escanhoado, ora, esta nação de força tênsil, que reaparece em Isaías 65, e que foi arrastada pelos rios ao lugar do nome de Javé dos exércitos, ora, esta nação é mesmo o comunismo soviético)? Pois é, este juízo do Pastor Ariovaldo Ramos sobre o comunismo não veio contribuir para a causa do Reino. Afinal sabem muito bem o que são, e um juízo que os iguala com quem lhe são antagônicos, sim, um juízo que iguala o que oprime aqueles a quem Jesus chamou de “pequeninos” e aqueles que lutam contra esta opressão só pode merecer por parte deles o desprezo. E o que é grave é que por conta da consubstancialidade vem o desprezo pela própria Palavra de Deus – o já conhecido: e o nome de Deus está sendo blasfemado entre as nações por causa de vós. Ora, que o Reino de Deus se opõe ao capitalismo é fora de dúvida, mas o Reino de Deus não pode opor-se ao comunismo soviético porque o comunismo soviético simplesmente É O PRÓPRIO REINO DE DEUS! Não percebido pelos homens, que foram não só como o forasteiro de Jerusalém que não obstante o grande acontecimento que acabara de ocorrer em sua cidade mesmo assim não estava sabendo de nada (Lucas 24.18) e porque não que foram também como os eruditos judeus, que não obstante as clarezas de Isaías 53, nunca enxergaram a presença de Jesus (mas isto seria mudado quando chegasse o tempo dos filhos e filhas de Deus ser transformados num abrir e piscar de olhos ante o toque da última trombeta. E a partir da fala recente do Papa Francisco, explicitando que o antagonismo entre socialismo e evangelho é fruto de mal-entendido, ora, há indícios claros que Deus se coloca a caminho para desvendar estes mistérios que teólogo algum o soube. E Adamir Gerson se colocou a caminho para expressar estes juízos porque sabe, tem a consciência estratificada de que Pastor Ariovaldo Ramos pertence aos filhos e filhas de Deus que iriam ser transformados num abrir e piscar de olhos. Pastor Ariovaldo Ramos não pertence de modo algum àqueles que ao toque da última trombeta iriam morder suas línguas de dor, por causa das suas dores e das suas úlceras (Apocalipse 16.10).

Prosseguindo. Bem, ser o comunismo soviético o próprio Reino de Deus isto aparece com muita clareza no profeta Isaías que concebeu o Reino de Deus um sistema político-social que iria se manifestar na terra em antagonismo completo ao capitalismo. Segundo Isaías no vindouro Reino de Deus os escolhidos construiriam, e outro não teria morada; plantariam, e outro não comeria. Usufruiriam plenamente do trabalho de suas próprias mãos. E tal se acha ainda mais claro na parábola de Mateus 20.

Mas, vão reagir: mas o comunismo soviético, além de ter sido ateu, materialista, foi muito violento, matou muita gente, e o que isto teria que ver com o Reino de Deus?

PRIMEIRO. É fato que o comunismo soviético foi ateu, materialista, iconoclasta. Mas também é fato que dois profetas que abordaram o aparecimento do Reino de Deus na terra, Isaías e Jesus, os dois foram muito claro de que o Reino de Deus não iria se manifestar na terra por intermédio de povo religioso, mas por intermédio de povo não religioso. Jesus quando se dirigiu aos sacerdotes dos seus dias e lhes disse que o Reino de Deus lhes seria tirado e dado a uma nação que produziria seus frutos apenas esteve endossando o juízo do profeta Isaías conforme está no capítulo 65 do seu livro.

E é preciso, filosoficamente, mergulhar fundo porque estes profetas conceberam um juízo assim sobre o Reino de Deus. Ora, tal está implícito no aparecimento dos dois irmãos gêmeos, Jacó e Esaú. Em Jacó estava a essência do Reino de Deus, mas pelo seu lado religioso, espiritualista, ao passo que em Esaú eis o Reino de Deus, mas pelo seu lado político, materialista. Isto explica porque tanto o profeta Isaías como o profeta Habacuque apresentaram o aparecimento do Messias como vindo de Edom. É edomita e não israelita. E o vermelho Marxismo, que nasceu do judeu, é este Esaú. (Logicamente que haveria o Messias israelita, como de fato houve mesmo, da raiz de Jacó, e portaria o Reino de Deus, todavia a sua essência seria religiosa, espiritual. Quanto ao Messias político, e é o personagem de Apocalipse 19.11, a sua raiz não seria Jacó-Teologia, mas, sim, Esaú-Antropologia. E este Messias Político-Esaú, somado ao Messias Religioso-Jacó é que são os dois ungidos que estão de pé ao lado do Senhor de toda a terra, segundo o profeta Zacarias, com o mesmo profeta Zacarias visionando no final dos tempos – E naquele dia – Deus os chamando, trazendo um ao outro, enquanto debaixo da videira, Teologia, e debaixo da figueira, Antropologia. E são os dois querubins que com as suas asas cobriam a Arca do Pacto. Ora, foi isto, exatamente isto, que levou Jesus a conceber os juízos de João 16.14 logicamente que transcrição de Isaías 53.11. (O fato do profeta Zacarias, ter visionado os dois ungidos sendo trazido um ao outro, uns aos outros, deva servir de reflexão para o Pastor Ariovaldo Ramos que é este o caminho e não aquele que não glorifica Deus senão que o coloca ainda mais em dificuldade).

SEGUNDO. O comunismo soviético foi muito violento? Ora, o mesmo foi cumprimento da escatologia segundo o que aparece no livro do profeta Sofonias (NR1). E Sofonias foi claro que Deus ao agir escatologicamente no dia de sua ira causaria uma mortandade, uma plenitude de corpos mortos, revivendo toda a ação do seu servo Nabucodonosor contra Judá e Jerusalém que não poupou nem mesmo os sacerdotes de Deus. E vou voltar a minha atenção para os príncipes, e para os filhos do rei (que o diga os filhos do Czar Nicolau II), e para os que usam vestuário estrangeiro (burguesia), e para os que pesam a prata (comerciantes), e para os poderosos (governantes), e nem a sua prata e nem o seu ouro os livrará no dia da ira de Javé. E sua riqueza terá de ficar para a rapina e suas casas, um baldio desolado. E construirão casas, mas não as ocuparão; e plantarão vinhedos, mas não beberão o vinho deles. E SEU SANGUE SERÁ REALMENTE DERRAMADO COMO PÓ E SUAS VÍSCERAS COMO FEZES.

Não obstante irão continuar com a reação: mas, como o comunismo soviético é o Reino de Deus se ele foi derrotado e a rigor nem mais existe? Como é o Reino de Deus se o Reino de Deus não será derrotado, se manifesta na terra, quebra e tritura a estátua e se espalha para a terra inteira a enchendo como um só monte; e isto não aconteceu com o comunismo soviético que não obstante ter triturado o capitalismo na Rússia e se espalhado para muitos países, todavia cobriu uma parte da terra, mas não a terra inteira, assim, pois, não cumprindo Daniel em sua totalidade?

É verdade, os homens não souberam, foi-lhes ocultado, mas o comunismo soviético repetiu as passadas de Jesus. Jesus depois de grandes milagres, de ser seguido pela multidão dos excluídos, acabou sendo traído, entregue nas mãos de homens pecadores para ser julgado, açoitado, cuspido, preterido pela turba insana e assassina: solta Barrabás e à morte com Jesus, e por fim crucificado entre dois malfeitores como se fosse um deles. Jesus que só fizera o bem. Ora, o comunismo soviético seguiu todos estes passos. Depois dos seus grandes milagres econômicos, e científicos, e tecnológicos, e militares, e sociais, e desportivos, acabou sendo traído e entregue nas mãos de homens pecadores, para ser julgado por eles. Cuspido, açoitado, preterido pela turba insana e assassina: Solta o capitalismo e à morte com o socialismo! Por fim acabou sendo crucificado entre dois malfeitores como se fosse um deles, o nazismo e o fascismo (na época o jornal Folha de São Paulo trouxe uma reportagem com manifestantes segurando uma faixa, e na faixa os dizeres: O comunismo é igual ao nazismo e ao fascismo. Ainda agora, nos escalões inferiores do pensamento é possível encontrar indivíduo que diga que o comunismo é irmão gêmeo do nazismo, Stálin irmão gêmeo do Hitler, com estes mesmos blindando a nação norte-americana de qualquer crítica).

Mas, como Jesus que ao terceiro dia ressuscitou, todavia em um novo corpo, incorruptível, não mais sujeito à morte e ao opróbrio dos homens, de igual modo o comunismo soviético vai ressuscitar. Logicamente que agora em um novo corpo, o corpo da Palavra de Deus. Na proteção e guia de Deus e não mais na proteção e guia de homens, de Internacionais, que um dia iriam ouvir do próprio Deus: Sentem-se à direita de meu filho Jesus até que ele coloque seus inimigos por escabelo de teus pés. E Jesus irá colocar os inimigos dos marxistas por escabelo de seus pés não por destruir os capitalistas, mas por transformá-los, dar a eles um novo coração, de carne, que sente a vida e as suas necessidades. E os marxistas, que recebera por primeiro este coração de carne, ao ver que a classe burguesa está procedendo como profeta, não vendendo as suas propriedades e dando o valor aos pobres, como fizeram os ricos dos dias apostólicos, mas direcionando a economia e a cadeia produtiva não mais na direção de quem tem dinheiro, mas de quem tem necessidade, ora, diante desta nova realidade os marxistas irão dizer: Verdadeiramente a Palavra de Deus tem mais poder que o poder da espada!

A estátua, no sonho de Nabucodonosor, sintetiza todas as tentativas humanas de resolver o problema humano sem considerar a hipótese de Deus ou sem considerar a revelação de Deus, tudo o que os homens tentaram em todos os níveis: o feudalismo, o capitalismo, o comunismo”, Palavras do Pastor Ariovaldo Ramos

Ora, é um fato que o feudalismo e o capitalismo foram tentativa humana de resolver os problemas sem considerar a hipótese de Deus ou sem considerar a revelação de Deus, pois uma vez que Deus é justiça, é o cuidado paternal com os necessitados, e estes sistemas econômico-sociais terem estado ao lado dos poderosos, explorando ao máximo os trabalhadores, com certeza eles não levava em consideração Deus e a sua revelação. Mas o comunismo foi cumprimento da Palavra de Deus. E como conciliar isto, resolver esta equação, se o comunismo realmente tratou-se de um sistema que não considerou a hipótese de Deus, não considerou a revelação?

É um fato que o comunismo não considerou a hipótese de Deus e não considerou a revelação, mas o criador do comunismo, Deus, com absoluta certeza considerou a hipótese de Deus e a revelação. Porque o comunismo não é outro senão o povo de Isaías 65. É o povo que Jesus se dirigiu aos sacerdotes dos seus dias e lhes disse que o Reino de Deus lhes seria tirado e dado a uma nação que produziria seus frutos. Ora, esta nação de Jesus, que é a mesma nação de Isaías, não foi outra senão o comunismo soviético.

A questão é resolvida assim, e então o próprio Pastor Ariovaldo Ramos vai dar seu consentimento: O Reino de Deus se manifestaria na terra em dois momentos, da Lei e da Graça. O momento da Lei reviveria Moisés e o Judaísmo, ao passo que o momento da Graça reviveria Jesus e o Cristianismo. De modo que o comunismo soviético foi o Reino de Deus, MAS PELO LADO DA LEI. E a sua queda foi necessária para que o comunismo pudesse se manifestar pelo lado da Graça posto que dois corpos não pode ocupar o mesmo espaço. Em um novo corpo, incorruptível, e agora não mais sujeito à morte e ao opróbrio dos homens. (Como necessário foi a morte de Jesus para que pudesse levantar-se em um novo corpo, do Ressuscitado).

E a pedra é o Reino de Deus, que vem e derruba a estátua, triturando-a, desfazendo todos os componentes da estátua até transformá-la em pó, pó que é varrido pelo vento de modo que da estátua não fica nem lembrança, e a pedra cresce, alarga-se e toma toda a terra, ou seja, uma nova realidade assume o controle da história e essa nova realidade é o Reino de Deus, palavras do Pastor Ariovaldo Ramos.

Ora, é fato que o comunismo não faz parte da estátua e é fato que o pleno domínio do Reino de Deus não apagará a memória do comunismo soviético, assim como o advento do cristianismo não apagou a memória do judaísmo. A rigor, no pleno domínio do Reino de Deus os sacerdotes de Deus não falarão de Moisés sem falar do Lênin; não falarão da revolução cristã ocorrida no século I sem falar da revolução comunista ocorrida no século XX; não falarão dos cristãos que foram torturados e mortos nos Coliseus de Roma sem falar dos comunistas que foram torturados e mortos nos porões das ditaduras; não falarão das mentiras e acusações que os pagãos, a populacho e a ideologia de Roma levantaram contra os cristãos, pretexto para destruí-los, sem falar nas mentiras e nas acusações que os capitalistas, a populacho e a ideologia americana levantaram contra os comunistas, pretexto para destruí-los. A rigor, no pleno domínio do Reino de Deus os sacerdotes de Deus, ao fazerem no altar a leitura de Salmo 22 e principiar à sua exortação não só falarão da assembléia dos malfeitores que se formou em torno de Jesus, decidindo a sua morte, como falarão da assembléia dos malfeitores que se formou em torno de Che Guevara decidindo a sua morte; não só falarão do avanço da assembléia dos malfeitores com pregos sobre as mãos e pés de Jesus como falarão do avanço da assembléia dos malfeitores para decepar as mãos de Che Guevara. No pleno domínio do Reino de Deus os sacerdotes de Deus, ao fazerem leitura do Salmo 22, ao estarem falando sobre o martírio de Jesus e a sorte que os soldados matadores lançaram sobre seus pertences pessoais o dividindo entre si o completarão por falar sobre o martírio de Che Guevara e a sorte que seus matadores lançaram sobre seus poucos pertences pessoais. E mais ainda sobre o Salmo 22, inesgotável nele os paralelos entre Jesus e Che Guevara, ao estar falando sobre o cuidado que os matadores de Jesus tiveram com o seu corpo, colocando uma guarda em volta da sepultura, com medo de que se tornasse mais perigo depois de morto do que quando vivo o completará por falar do cuidado que os matadores de Che Guevara tiveram com o seu corpo desaparecendo com ele e só trinta anos depois sendo descoberto quando o comunismo já não representava mais perigo.

Logicamente que como os escritos neo-testamentários falam do judaísmo como aio, como portador de sombras e não da substância das coisas, ora, o comunismo soviético foi esta sombra, e a substância das coisas construindo uma nova realidade, assumindo o controle da História, é esta realidade nova que está chegando e que precisa de homens, como Pastor Ariovaldo Ramos, para que possa tomar o lugar da estátua que foi arranhada, mas não destruída pelo comunismo soviético. Não porque o comunismo soviético foi traído, como é visão de uma classe de intelectuais que naquela década de trinta entendeu que o socialismo foi vítima de traição, mas porque foi concebido para arranhar e não destruir a estátua. A destruição da estátua iria dar-se quando o Reino de Deus se passasse do judeu Marx para o judeu Jesus. E iria ser destruída, desmontada parte por parte, democracia cristã, social-democracia, democracia burguesa, apenas se atendo ao ocidente, não pelo poder do fuzil, mas pelo poder da Palavra de Deus.  E esta nova realidade iria se dirigir aos marxistas como o Justo Juiz de Mateus 25.40 que não diz para o comunismo soviético que foi parte da estátua, membro da estátua, mas diz: Vinde benditos de meu Pai e possuí o reino vos preparado desde a fundação do mundo. Porque tive fome e me destes algo para comer; tive sede e me destes algo para beber. Eu era estranho, e vós me recebestes hospitaleiramente; estava nu, e vós me vestistes. Fiquei doente, e vós cuidastes de mim. Eu estava na prisão, e vós me visitastes.

É preciso uma análise mais atenta sobre este juízo de Pastor Ariovaldo Ramos mesmo porque este não é juízo só da Missão Integral, mas também da própria Teologia da Libertação a julgar por uma frase de Gustavo Gutierrez: conseguimos evitar o perigo! Que perigo foi este que conseguiram evitar? Adamir Gerson entende que foi o esvaziamento que se fez da Teologia da Revolução teólogos europeus que no calor da realização do Concílio Vaticano II e imediatamente após ele chegou muito próximo de uma descoberta: o Marxismo é Deus! O Deus de Abraão, Isaque e Jacó é o Deus de Marx, Engels e Plekhanov! E uma assertiva assim colocava em dificuldade todo o universo religioso cristão que entenderam o Marxismo e a Revolução por outros parâmetros que se tinha a sua razão de ser, foi do referencial positivista, do referencial humano, da lógica humana, não, porém, do referencial da Palavra de Deus. Porque tanto o ateísmo como a violência revolucionária já estavam assentados previamente na Palavra de Deus – Eu disse: Eis-me aqui, eis-me aqui a uma nação que não invocava meu nome; e nem a sua prata e nem o seu ouro os livrará no dia da ira de Javé – e se tal merecia reclamação esta tinha de ser feita à sua causa, Deus, e não ao seu efeito, os marxistas.

Ora, Pastor Ariovaldo Ramos se estriba no seu juízo por dizer, se apoiando em Karl Jaspers, que todo o conteúdo do Marxismo é encontradiço na Palavra de Deus. As páginas do Velho Testamento e do Novo Testamento estão permeadas de conteúdo marxista. Na visão dele, Marx, como bom judeu, como bom cristão, apenas revestiu o socialismo bíblico de categorias das ciências sociais. O que se entende nas palavras de Pastor Ariovaldo Ramos é que os cristãos têm de se acordar e retornar a Deus o que foi subtraído de Deus. Marx teria revivido a saga dos filisteus capturando a Arca do Pacto e a levando para junto do seu deus, o materialismo, sentindo no Pastor Ariovaldo Ramos um desejo oculto de que hemorróidas estourem nos marxistas e eles tomem o socialismo e o entreguem nas mãos dos cristãos, dizendo: Toma o que é vosso!

Não resta a menor dúvida que a idéia de socialismo antes de estar em Marx e nos marxistas esteve nas páginas da Bíblia. A descrição mais antiga da idéia de comunismo se acha no livro do Êxodo com ele emprestando a sua essência para todos os comunismos que então vieram depois – ver Êxodo 16.14-18.

Mas é um fato de que não obstante a idéia de comunismo estar presente na mente e no dia a dia tanto dos judeus como dos cristãos, todavia entenderam que o comunismo seria uma realidade futura e não presente, não obstante a experiência do deserto e de Atos. Entenderam que o comunismo iria ser uma realidade universal e que seria instaurado somente quando os oprimidos tomassem consciência de sua opressão. E é alvissareiro saber que segundo eles esta consciência não seria imanente, mas transcendente. No tempo certo e necessário então iria dar-se a fecundação-intervenção de Deus – para análise ver Mateus 20 e Tiago 5 (Tiago 5 é transcrição de Isaías 19.20).

De modo que é feito a pergunta: Então, no lugar de se entender que Marx e os marxistas se apropriaram do socialismo bíblico não é mais justo dizer que na verdade Marx e os marxistas foi Deus cumprindo a sua Palavra? Sem que soubessem foram instrumentos nas mãos de Deus? Dado a natureza do socialismo bíblico, que segundo os escritos dos profetas, e até de apóstolos de Jesus, iria se manifestar a partir de um choque frontal e violento entre a classe dos proprietários e a classe dos trabalhadores, com estes inexoravelmente destruindo aqueles, como as águas do Mar Vermelho destruíram as forças de Faraó – Pois ele pôs abaixo os que habitavam na altura, na vila elevada. Ele a rebaixa, ele a rebaixa até a terra; ele a trás em contato com o pó. O pé a pisará, os pés do atribulado, as pisadas dos de condição humilde (...) Porque o opressor chegou ao seu fim; a assolação acabou; deu-se cabo na terra dos que pisam os outros. Profeta Isaías – ora, como tal práxis revolucionária era incompatível com a natureza e a essência cristã então Deus cuidou em criar um novo povo e aos poucos foi tirando dele os traços cristãos e colocando no lugar a sua ira guardada para desabar sobre todos que abandonaram os de condição humilde e não fizeram caso deles.

Ora, uma vez que a Palavra de Deus vaticinou o aparecimento na terra do povo marxista, portando a essência que a Palavra de Deus diz estaria neles, mas também a Palavra de Deus vaticinou que chegaria o dia em que o véu que separava Deus deste povo seria removido e então este seu povo oculto iria reconciliar-se com Deus, indo ao seu aprisco, para tornar um só com o povo cristão, sendo um só rebanho e tendo um só pastor, ora, os Ministros de Deus tem de conscientizar ser sua missão não desprezar os marxistas, como no passado remoto fizeram povos nômades que abandonavam os seus que se tornaram incapazes de prosseguir na caminhada, ora, o povo de Deus tem de se conscientizar que é a sua missão trabalhar a conversão dos marxistas. Mesmo porque os marxistas são propriedades de Jesus que ao se referir a ovelhas que estavam em outro aprisco disse de forma explícita: Tenho outras ovelhas! Mais claro impossível: e convém agregá-las. Quem não trabalha para agregar os marxistas a Deus, mostrar a eles a sua origem divina, mas, sub-repticiamente, aproveitando que estão caídos, em coma, tem trabalhado para se apropriar daquilo que construíram em cem anos – e aí sim é se prestar ao papel inglório dos filisteus quando estes conquistaram a Arca do Pacto e a levaram ao seu templo e depositou aos pés do seu deus Dagom – não está ao serviço do Reino, mas, sim, ao serviço da estátua, de alguma de suas partes.

Que Pastor Ariovaldo Ramos, como Ministro da Palavra de Deus, homem do verdadeiro Deus, que medite sobre estas palavras de Adamir Gerson porque é o Reino de Deus batendo às portas para fazer o seu nascimento e esmagar a estátua, triturando-a, e espalhando o seu pó ao vento; e então o Reino cobrindo toda a terra com a terra inteira chegando a descansar, ficando sossegada, e as pessoas ficando animadas, com clamores jubilantes (Isaías 14.7).

Que Pastor Ariovaldo Ramos medite sobre estas palavras de Adamir Gerson, repreensivas (Deus corrige a quem ama), mas necessárias, e adquira um novo espírito, se interessando e gastando todas as suas forças e energias do Reino na criação do PAREPAR porque não existe Reino de Deus fora do PAREPAR, PArtido da REconstrução do PARaíso, que há de organizar os jovens do Junho Brasileiro, dar a eles estrutura teológica, filosófica e político-religiosa, ser a resposta ao seu clamor por um novo tempo que só pode ser o Reino de Deus.
-------------------------------
Nota de Rodapé (NR1)

É preciso alguns esclarecimentos concernentes a ser dito que a profecia de Sofonias se cumpriu no comunismo soviético. PRIMEIRO. Há cerca de vinte anos um programa religioso na cidade, já extinto, ora, o Ministro de Deus que ocupava o microfone ao ter feito leitura do profeta Sofonias exortou a Palavra dizendo que em breve Sofonias iria se cumprir; e então os ricos iriam sofrer muito à mão de Deus, porque, dizia o Ministro de Deus com a alma quebrantada, esta é a recompensa reservada a quem não confiou no poder da Palavra de Deus senão que no poder da riqueza. Bem, de forma sucinta é preciso dizer: Sofonias não irá se cumprir porque é profecia cumprida. É página virada no número de profecias cumpridas. E o seu cumprimento se deu justamente no advento do comunismo soviético, naquele ano de 1917, quando aqueles que retiveram o salário dos trabalhadores (Tiago 5) passaram a clamar amargamente e nem a sua prata e nem o seu ouro os livrou das mãos do comunismo soviético.

SEGUNDO. O comunismo soviético foi apresentado como tendo cumprido a escatologia do Grande Dia da Ira de Javé conforme se acha no profeta Sofonias. E de fato o cumpriu. Mas é preciso esclarecer: a escatologia terá o seu cumprimento a partir de dois fundamentos tipológicos, a destruição de Judá e Jerusalém pela mão de Nabucodonosor, já falado, e a destruição que Deus causou no Egito pela mão de Moisés. O acontecimento escatológico é único, mas visto de um ângulo ê a ação de Nabucodonozor, e agora contra a Cristandade, e visto de outro ângulo é a ação de Moisés no Egito, e agora contra o capitalismo. De modo que o comunismo soviético tanto cumpriu a ação de Nabucodonozor contra Judá como cumpriu a ação de Moisés contra o Egito. O Lênin tanto foi Novo Nabucodonosor como Novo Moisés – ver Isaías 19.8; Tiago 5.

Ora, como o Judaísmo e o Cristianismo foram partes de um mesmo processo, o Judaísmo foi caminho para o Cristianismo, e, do ponto de vista de Deus, da Bíblia, a destruição que Nabucodonozor causou em Judá e a conquista de Babilônia por parte de Ciro também foram partes do mesmo processo, o Deus que castigou com Nabucodonozor libertou com Ciro, ora, isto significa dizer que a escatologia, pelo lado de Moisés-Judaísmo, iria ter também o lado de Jesus-Cristianismo, e pelo lado de Nabucodonozor-Judá iria ter também o lado de Ciro. A revolução, que tanto recapitulou a destruição de Judá, e agora a destruição da Cristandade, e que recapitulou a libertação do Egito, e agora a libertação do capitalismo, também iria recapitular as giestas de Jesus-Cristianismo e as giestas de Ciro. E como a revolução é a escatologia e a escatologia é a revolução isto significa dizer que a revolução tem dois momentos, o da lei e o da graça. O da Lei Moisés-Nabucodonozor e o da Graça, Jesus-Ciro. De fato, se o seu momento de Lei aconteceu na Rússia naqueles anos de 1917, 1918, o seu momento de Graça ocorrerá no país Brasil cem anos depois daqueles acontecimentos, porque este é o período da geração que segundo Jesus não passaria sem que todas estas coisas acontecessem. Período de cem anos porque foi este foi o tempo biológico de uma geração assentado pelo profeta Isaías.

Podemos dizer que o comunismo soviético reviveu os trágicos acontecimentos que levaram à destruição de Judá e Jerusalém e o subseqüente exílio do seu povo proeminente (porque os humildes foram deixados no país para que lavrassem a terra e cuidassem dela)? Há uma relação entre aqueles acontecimentos narrados no seu calor pelo profeta Jeremias e a revolução que na medida em que ia se desenrolando os seus acontecimentos foram sendo registrado pelo repórter norte-americano John Reed? Vejamos: Os caldeus destruíram Judá e Jerusalém em três sucessivos golpes. O PRIMEIRO foi desfechado contra o rei Joaquim; O SEGUNDO foi desfechado contra o rei Zedequias, onze anos e três meses depois; E O TERCEIRO foi desfechado um mês depois, quando Nebuzaradá, enviado de Nabucodonozor, então chegou à Jerusalém passando a demolir todo aquele mundo, não deixando pedra sobre pedra.

Vejamos o seu antítipo: Os revolucionários destruíram a Cristandade em três sucessivos golpes, a saber: O PRIMEIRO foi a revolução de 1905; O SEGUNDO foi a revolução de março de 1917, que depôs o Czar Nicolau II, onze anos e três meses depois; E O TERCEIRO foi desfechado um mês depois quando Lênin voltou do exílio e passou a demolir todo aquele mundo sem deixar pedra sobre pedra. Há muito que falar sobre o assunto, e exemplo a tentativa do rei Zedequias de escapar por uma brecha, ele, sua família e todos os próximos, mas a sua fuga foi frustrada pelos caldeus que enviaram soldados por várias estradas os alcançando nas planícies de Jericó, tendo um destino diferente, não sendo levado de volta para Jerusalém, mas para a longínqua Ribla onde o rei Nabucodonozor montara acampamento e dali comandava as suas lutas tanto contra Jerusalém como contra Damasco. E na presença de Nabucodonosor, então entrou um oficial e fez a leitura de uma decisão judicial promulgada por Ribla. Ato contínuo Nabucodonozor puxou da espada e matou os jovens filhos de Zedequias, à sua vista, dando a Zedequias um destino pior, cegou-o e o levou cativo para Babilônia. Ora, após a revolução de março que pôs fim ao reinado do Czar Nicolau II, e este levado para a prisão no Palácio de Alexandre, como os ingleses havia arquitetado um plano para libertar o Czar; foi avisado para ficar na brecha da janela de onde seria resgatado, na calada da noite, e levado salvo para a Inglaterra, ora, quando os revolucionários souberam dos planos de fuga então colocaram soldados em todas as estradas que saiam da cidade frustrando assim o plano de fuga. Tomaram então ao Czar e sua família e o levaram para a distante Tolbosk, e quando os bolcheviques sucederam os mencheviques, então levaram-no para Ekaterimburg, nos Montes Urais. E no mês de julho do ano de 1918, quando estes estavam na Casa Ipatiev, então receberam ordens para descer ao porão da casa. Então entrou até eles revolucionários tendo à frente o Capitão Yakov Yurovsky um fotógrafo que sofrera horrores nas prisões do Czar. Após ter feito a leitura de uma decisão judicial, promulgada pelo soviete local, estritamente pelo soviete local, então os revolucionários metralharam todos os que estavam no porão com Nicolau II morrendo e vendo seus filhos jovens também serem mortos. Ora, no caso judeu depois do massacre da família real, à mão de Nabucodonosor, a quem Deus chamou de “meu servo” e eu trarei a este lugar de rebeldia e ele executará a minha vontade, sim, depois do massacre da família real os caldeus continuaram a aprisionar mais nobres e os enviar ao mesmo destino, Ribla, e ali eram impiedosamente mortos pelo rei caldeu. No caso comunista, depois da execução do Czar Nicolau II e sua família, os revolucionários continuaram a aprisionar mais membros da nobreza; e eram enviados para o mesmo lugar, Ekaterimburg, onde havia um soviete extremamente hostil, e ali eram julgados e mortos pelos revolucionários. Há muito que falar sobre o assunto, mas agora não é ocasião para falar do mesmo em pormenores.

Ora, se a descrição acima mostrou claro, e mais claro impossível, de que a destruição de Judá e Jerusalém, profetizada quarenta anos antes pelo profeta Sofonias, foi fundamento tipológico da Revolução, os trágicos acontecimentos que alcançaram os proeminentes de Judá, tanto seus príncipes e reis como seus sacerdotes, com eles sendo espalhados aos quatro ventos, foram os trágicos acontecimentos que alcançaram os poderosos na Rússia, e nem a sua prata e nem o seu ouro os livrou da mão dos revolucionários, ora, no que diz respeito ao segundo momento escatológico, tipificado na ação de Moisés no Egito contra Faraó e seus servos, Adamir Gerson fornecerá algumas pistas de identificação. Poucas palavras, mesmo porque este é um assunto abordado por Adamir Gerson com muita profundidade. Ora, Moisés um hebreu que por muito tempo se escondeu a sua origem, por ter tomado o lado dos seus irmãos escravizado então teve de fugir para o exílio. Mas, na morte dos homens que estavam a procura de sua alma para tirá-la, com o caminho se achando livre para a sua volta – Vai, volta ao Egito, porque todos os homens que estavam á caça da tua alma estão mortos, Êxodo 4.19 – então Moisés, obedecendo a voz de Deus, voltou ao Egito e quebrou as algemas de Faraó e passou a guiar o povo liberto na direção da terra de Canaã, Terra da Promessa, que manava leite e mel. Deveras, Moisés passou a guiar os escravos hebreus para o lugar que tempos antes Abraão creu seria o lugar de descanso de sua descendência peregrina e oprimida. Ora, tudo isto veio a acontecer com o Lênin. Por muito tempo sendo escondida a sua origem judia, a verdade é que Lênin, por ter tomado o lado dos trabalhadores oprimidos, aqueles que Tiago disse iriam clamar a Deus por causa dos opressores, e Deus iria lhes responder por enviar-lhes um libertador, alguém grandioso que realmente iria livrá-los (Isaías 19.20), a verdade é que Lênin por ter tomado o lado dos oprimidos teve de ir para o exílio. Mas voltou. Na queda do Czar então a notícia chegou a ele, no exílio suíço, que era para voltar, pois o caminho estava livre para a sua volta. “Volta Lênin, e assume o controle da revolução, libertando os trabalhadores do domínio do Governo Provisório que não tem feito nada por eles senão que está dando continuidade a todo seu sofrimento”, diziam os clamores que chegavam ao Lênin. E como Moisés que foi ao seu sogro Jetro e pediu permissão para voltar ao Egito, com Jetro não somente permitindo – vai, volta em paz (Êxodo 4.18) – como lhe ofertando um meio de transporte, um jumento, no qual montou sua família, sua esposa Zípora e seu filho Gerson, voltando então ao Egito, ora, no caso do Lênin o mesmo foi ao Kaiser e pediu permissão para atravessar o território alemão em sua volta à Rússia com kaiser não só permitindo como lhe ofertando um meio de transporte, um trem blindado, no qual Lênin fez entrar a sua família de revolucionário e passou a voltar para Rússia, quebrando o poder dos opressores, libertando os trabalhadores e passando a guiá-los na direção do Socialismo, para o lugar que tempos antes Marx acreditou seria o lugar de descanso dos oprimidos pelo capitalismo. Há muito que falar sobre o assunto, mas agora não é ocasião. Apenas aguardar. Se houve o grande momento de Moisés – Lênin – por certo que haverá o grande momento de Jesus, bem como se houve o grande momento de Nabucodonozor por certo que haverá o grande momento de Ciro que não será outro senão a união de cristãos e marxistas em um só corpo (João 10.16) revivendo a aliança de medos e persas que conquistou pacificamente Babilônia e libertou o povo escravizado com ele retornando de volta a Judá. E agora quem será liberto será a inteira humanidade retornando então de volta ao Paraíso de Deus. Vamos aguardar os acontecimentos que estão na iminência de acontecer.

TERCEIRO. É fato que tem suscitado entre os teólogos uma disputa e controvérsia sobre quem é, hoje, a Babilônia do livro do Apocalipse com uns afirmando ser o imperialismo americano ao passo que outros sustentando tratar-se do comunismo soviético com estes tendo tomado o fato concreto da queda do comunismo soviético como tendo sido o cumprimento da queda de Babilônia: caiu, caiu Babilônia... E o fato de Adamir Gerson ter desenvolvido uma exegese científica resultando que o comunismo soviético foi revivência histórica da ação dos caldeus contra Judá e Jerusalém, ora, por certo que isto levará os teólogos partidários do comunismo ser Babilônia: Então Adamir Gerson confirmou o que já sabíamos!

Quem seria hoje Babilônia, o comunismo ou o capitalismo? A URSS ou os Estados Unidos?

Na verdade os dois blocos que estiveram em disputa na vigência da Guerra Fria foram Babilônia, mas feito esta distinção: A URSS e o comunismo foram a Babilônia do rei Nabucodonozor, ao passo que os Estados Unidos a Babilônia do rei Belsazar! Lênin foi arquétipo de Nabucodonozor, e o Presidente dos Estados Unidos, incluso John Kennedy e o agora Barak Obama, arquétipo de Belsazar.

Quem foi Belsazar? Foi um rei babilônio provavelmente neto de Nabucodonozor. E este Belsazar cometeu sacrilégio por mandar trazer as taças sagradas que seu avô subtraíra no Templo em Jerusalém; e as enchendo de vinho e bebendo com os seus nobres então de repente apareceu uma mão que pôs a escrever na parede as palavras: MENE, MENE, TEQUEL E PARSIM que interpretada por Daniel tinha este significado: MENE: Deus contou os dias do teu reino e acabou com ele; TEQUEL: foste pesado na balança e achado deficiente; PERES PARSIM: Teu reino foi dividido e dado aos medos e aos persas.

Ora, homens trouxeram os Estados Unidos e o fizeram sentar na cadeira de réu para ser julgado se era ou não a Babilônia do livro do Apocalipse. A afirmação de teólogos serem os Estados Unidos a Babilônia do livro do Apocalipse começou a causar um profundo mal estar em religiosos, notadamente entre evangélicos. E homens trouxeram os Estados Unidos para ser julgado e decidido se era ou não Babilônia. E Adamir Gerson está falando de um programa televisivo no canal RIT que promoveu um debate sobre os Estados Unidos se era ou não a Babilônia do livro do Apocalipse. E ao final do debate, do longo debate, envolvendo até pessoas nas ruas, então os teólogos que ali se fizeram presente, três ou quatro, foram unânimes em afirmar que os Estados Unidos não eram Babilônia.

Logicamente que um debate chulo, tendencioso, pois os teólogos que ali se fizeram presente foram escolhidos a dedo. Um debate de cartas marcadas, que não primou pela imparcialidade, pois se assim fosse os teólogos convidados tinham de ser pró e contras.

Mas quem vai julgar serem os Estados Unidos a Babilônia do livro do Apocalipse não são homens, mas Deus pelo seu profeta maior (Apocalipse 11.15). Esta nação, invocando o nome de Deus e se apresentando como defensora e propagadora da Palavra de Deus, mas tendo cometido crimes horríveis em cima da terra, bebido vinho nas taças sagradas, e a mentira que inventou para destruir o Iraque foi apenas uma das tantas mentiras que inventou para apoiar golpes militares contra Presidentes eleitos democraticamente ou para invadir países para preservar seus interesses econômicos e políticos, quem vai julgar esta nação não serão homens, mas o próprio Deus. Se nunca tivesse existido o comunismo soviético toda a terra era uma imensa África, pois a preocupação que esta nação tem com o mundo foi a preocupação que Roma pagã teve com o mundo.

O importante é que o profeta Isaías viu a sua queda, transcrito por João: Como cessou aquele que compelia outros a trabalhar, como cessou a opressão! Javé destroçou o bastão dos iníquos, a vara dos governantes, aquele que incessantemente golpeava povos em fúria com um golpe, aquele que subjugava nações em pura ira, com perseguição sem freio. A terra inteira chegou a descansar, ficou sossegada. As pessoas ficaram animadas, com clamores jubilantes. Até mesmo os juníperos se alegraram de ti, os cedros do Líbano, dizendo: Desde que te deitaste não sobe contra nós nenhum lenhador (Isaías 14). Este, desde que te deitaste, é o mesmo do livro do Apocalipse: Caiu, caiu Babilônia, a Grande, e ela se tornou moradia de demônios, e guarida de toda exalação impura, e guarida de toda ave impura e odiada. Pois todas as nações caíram vítimas por causa do vinho da ira da sua fornicação, e os reis da terra cometeram fornicação com ela, e os comerciantes viajantes da terra ficaram ricos devido ao poder de sua imponente luxúria. O anjo de Javé desce do céu, com grane autoridade, e a terra fica iluminada com a sua glória, não restando à Babilônia senão a queda.

Quanto ao Lênin, ao comunismo soviético, terem sido arquétipo de Nabucodonozor, ora, o caminho percorrido por Nabucodonozor, negador de Deus como condutor soberano da História, e, por conseguinte, ter sido expulso do trono, passando a comer grama como touros, e por fim reintroduzido ao trono, porque teve mudança profunda em sua vida passando a crer que quem realmente tinha o controle e o destino da História era Deus e não homens, ora, Lênin e o comunismo soviético percorreu este mesmo caminho, não só hoje estando em completa demência, e comendo grama como touros como amanhã estarão novamente no trono, pois uma mudança profunda está prestes a alcançá-lo e no lugar do ateísmo eis agora a crença inabalável na existência não só o soberano comandante da História como o soberano comandante, da própria revolução.


QUARTO. Ninguém pense que este juízo de Adamir Gerson pelo qual o comunismo soviético fez no século XX com a Cristandade o que os caldeus fizeram no passado com a infiel Judá ninguém pense que está sozinho neste juízo. Descobriu-se que um grupo religioso tem a mesma visão, os seguidores de William Marrion Branham. Eles pregam que o comunismo foi um instrumento usado por Deus para castigar a Cristandade, tendo feito hoje o mesmo trabalho que o rei Nabucodonozor fez no passado contra Judá e Jerusalém. Quem teria mostrado para estes religiosos que o comunismo reviveu historicamente a destruição de Judá? O que os difere de Adamir Gerson é que esta visão neles está muito mais no plano da intuição, ao passo que em Adamir Gerson no plano da ciência. Falam de que o comunismo foi instrumento nas mãos de Deus para fazer com a Cristandade o que os caldeus fizeram com Judá, mas se percebe que eles não têm conhecimento do que seja o Marxismo e do que seja a Revolução. Estão no plano da revelação, tendo muito pouco conhecimento do que seja o Marxismo e a Revolução.

Um comentário:

  1. Olá meus amigos, como é maravilhoso encontrar sites com este seu. Parabéns pelo belo trabalho, já estou seguindo.
    Aproveitando a oportunidade gostaria de compartilhar com você nosso
    blog. Ficaremos felizes por vossa visita e mais ainda se seguir-nos.

    AGUARDAMOS SUA VISITA

    Atenciosamente

    Josiel Dias
    http://josiel-dias.blogspot.com
    Rio de Janeiro

    ResponderExcluir