sexta-feira, 8 de agosto de 2014

GOVERNO DE CRISTO-ISAQUE – PROJETO 2018

1914 – 2014 * TEMPLO DE SALOMÃO E PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL. O FILHO DO HOMEM PRATICAMENTE ÀS PORTAS. A SUA SOMBRA DEVE APARECER NA TERRA EM 2014 OU JÁ TERIA APARECIDO E A SUA REVELAÇÃO E PRESENÇA ARREBATADORA, VISÍVEL, INDISCUTÍVEL, INCONFUNDÍVEL, INQUESTIONÁVEL, NÃO SÓ NA DESCRIÇÃO DE ISAÍAS, MAS TAMBÉM NA DESCRIÇÃO DE TEILHARD DE CHARDIN E DE PIETRO UBALDI, EM 2017 – 2018. PRESTEM MAIS ATENÇÃO AO NOME ADAMIR GERSON, NÃO APENAS COM O RESPEITO INTELECTUAL QUE O PROFESSOR DE FILOSOFIA DE BOM DESPACHO, LÚCIO JUNIOR ESPÍRITO SANTO, TEM TIDO POR ELE, MAS MUITO MAIS COM A SUSPEITA MESSIÂNICA QUE O MÉDICO VETERINÁRIO LUIS FELIPE MAYORGA, DE VILA VELHA, ESPÍRITO SANTO, PASSOU A NUTRIR POR ELE

É conhecido de todos que Charles Tasse Russel, de quem se originou a denominação religiosa Testemunhas de Jeová (Como a Igreja Adventista nasceu a partir de Guiherme Miller, mas Miller não foi seu fundador senão que Ellen White de igual modo as Testemunhas de Jeová nasceram de Charles Tasse Russel, mas este não foi seu fundador senão que Joseph Rutheford – Como também a Igreja Tabernáculo nasceu de William Marrion Branham, mas Branham não foi seu fundador), sim, é conhecido de todos que Charles Tasse Russel, oriundo do movimento de Guilherme Miller, naquele ano de 1870 teve revelação de que o Governo do Reino iria se estabelecer na terra por volta do ano de 1914. E iria se estabelecer de forma invisível, não vista ou percebido pelos homens. Mas o que pouca gente sabe é que Charles Tasse Russel no ano de 1916, continuando convicto de que o Governo do Reino, se não foi estabelecido no ano de 1914, todavia estava na iminência de se estabelecer, então neste ano de sua morte declinou o ano de 1917.

Porque o ano de 1917? Vale acrescentar que dois estudiosos das Sagradas Escrituras antes de Charles Tasse Russel para o mesmo fenômeno trabalharam com as datas de 1917 e 1914. John Acquila Brown em 1823 declinou a data de 1917; e depois dele, Nelson Barbour, situando a destruição de Jerusalém em uma data três anos antes da de Brown, declinou o ano de 1914. De modo que Charles Tasse Russel, tendo se feito amigo deste Nelson Barbour, por muito tempo trabalhou com a data de 1914, mas em 1916 passou a declinar a data de John Acquila Brown. E agora a sua revelação se torna consumadora, pois não somente diz que o Governo do Reino iria ser estabelecido no ano de 1917 como diz que o Governo do Reino por três anos iria travar luta de vida e morte pela sobrevivência, mas ao final, e declinou o ano de 1920, será vitorioso sobre aquilo que chamou de “as forças do Faraó”.

Esta profecia de estabelecimento do Governo do Reino, presente em Brown já desde 1823, em Nelson Barbour desde 1859 e em Russel em 1870 realmente se cumpriu? Em 1917 foi estabelecido o Governo do Reino?

A profecia se cumpriu sim em modo duplo: DECLARAÇÃO BALFOUR E REVOLUÇÃO BOLCHEVIQUE. Como na profecia de 1916, Russel escreveu sobre o “espasmo das nações” que iria ter lugar “na primavera de 1918”, e na mesma profecia disse “e em 1920 as Repúblicas serão tragadas pelas águas da anarquia”, ora, a verdade é que a Revolução aconteceu naquele final de 1917, mas no ano seguinte, na primavera de 1918 as Repúblicas da terra inteira ficaram literalmente em espasmo. Foram tomadas de um espasmo como nunca se viu em toda a História. Ao ouvirem a notícia de que os comunistas tinham tomado o poder na Rússia e que principiavam a demolir todo o existente, criando um governo diferente de todos os governos da terra, foram tomadas de forte espasmo. De modo que na primavera de 1918 as nações da terra, todas as nações da terra, invadiram a Rússia por todas as estradas para esmagar a Revolução e trazer as massas proletárias de volta ao capitalismo – àqueles que no livro do profeta Daniel é chamado de “o mais humilde da humanidade”. De Nova Yorque, no programa “Fantástico” o jornalista Paulo Francis se referiu a esse levante das nações na primavera de 1918 como “o ato mais vergonhoso da História”. Arrastando os erres, Paulo Francis se referiu àquelas vinte e uma nações que invadiram a Rússia naquele ano de 1918 nestas palavras: Vinte e uma nações covardes! É verdade, na primavera de 1918 vinte e uma nações invadiram a Rússia, as nações mais poderosas da terra, Turquia, Japão, França, Inglaterra, Estados Unidos, Alemanha, e no final de 1920 os revolucionários travaram contra elas a última batalha, na Criméia, quando foram então derrotadas fugindo espavoridas do território revolucionário sem ao menos olhar para trás. Porque Javé as lançara em confusão. Achando que iria ser fácil vencer os bolcheviques cada qual começou a desenhar no papel qual parte do território russo iria passar para seu domínio. E não se entendiam entre si porque cada qual almejava o pedaço melhor, e cada general da contra-revolução dizia ser ele quem iria ser o novo ditador da Rússia. Assombrados com o fato que se tornou corriqueiro, soldados abandonavam seus generais e se passavam para o lado dos bolcheviques, ao estar passando não raro os matando, as nações começaram a sair o mais rápido possível da Rússia.

Porque Adamir Gerson se referiu ao cumprimento profético em modo duplo, Declaração Balfour e Revolução do Socialismo? Ora, como acontece no natural que a semente ao ser plantada e morta renasce como planta e depois dará suas flores e seus frutos, flor e fruto, e quando o fruto aparece, junto com ele, embutido nele, está a sua respectiva semente, ora, o que ocorreu naquele ano de 1917 foi o aparecimento dos frutos do Reino, do Fruto do Reino (Mateus 21.43; 25.40). O Fruto do Reino foi, deveras, a revolução do socialismo, mas a Declaração Balfour a sua respectiva semente. Abraão e Marx. O que explica a revolução do socialismo ter sido um fenômeno judeu. Segundo George Riffert no livro A Grande Pirâmide, Editora Record, o comunismo foi gestado no ventre da Liga Judaica. De fato, os dois líderes teóricos da Revolução foram judeus, Karl Marx e Friedrich Engels, os dois líderes práticos da revolução foram judeus, Lênin e Trotsky, os dois líderes da Ascensão do Socialismo foram judeus, Rosa Luxemburgo e Max Horkheimer, e é inconteste que a revolução do socialismo saiu mesmo dos judeus que o Conselho dos Comissários do Povo, o órgão máximo da revolução, espécie de Conselho de Ministros ou Parlamento, criado e presidido pelo judeu Lênin, das suas 556 cadeiras nada mais nada menos que 457 eram ocupadas por judeus.

E se é fato que o fruto do Reino surgiu na terra naquele final do ano de 1917 no que diz respeito à sua flor, às flores do Reino, ela se manifestou na História no século I através da Religião Cristã (mas agora não é ocasião para se abordar tal assunto. O que importa agora é situar o ano de 2014 e o Templo de Salomão construído pelo Líder Edir Macedo).

Bem, se profecias do século XVIII, XIX e XX apontavam para o aparecimento na terra do Governo do Reino, e tudo se deu na Rússia czarista, como explicar que o Líder Edir Macedo construiu no Brasil uma réplica do Templo de Salomão inclusive com materiais que foram trazidos de Israel?

Em primeiro é preciso explicar porque o Templo foi inaugurado no ano de 2014 e passou a povoar o imaginário popular. Porque na verdade a revolução do socialismo e a Declaração Balfour aconteceram no ano de 1917, mas a sua preparação começou em 1914! Ao eclodir a Primeira Guerra Mundial ali começou a preparação para a chegada do Governo do Reino que se deu em 1917. Sem a Primeira Guerra Mundial matematicamente não teria havido nem a Declaração Balfour e nem a Revolução. A Palestina estava sob comando otomano e a Guerra trouxe caos completo à Rússia ao ponto que o Czar Nicolau II se ausentou do governo e foi para frente de batalha com o governo ficando literalmente nas mãos do monge Rasputin já que a czarina o obedecia cegamente. E os bolcheviques, como um exército de formigas brancas, se infiltraram pelas brechas escancaradas.

Então o Templo de Salomão sendo inaugurado em 2014 deve ser visto como preparação ou o anúncio para acontecimentos que terão lugar nos anos de 2017-2018.

Mas, porque o Templo de Salomão não foi construído em Israel, como seria uma lógica, mas construído no Brasil?

Para compreender essa questão é preciso entender o seguinte: o Governo do Reino iria se manifestar em dois momentos distintos e consecutivos, um momento ligado ao outro. Iria se manifestar como Lei, revivedor de Moisés e do Judaísmo, e depois iria se manifestar como Graça, revivedor de Jesus e do Cristianismo. Uma mudança completa onde a Ditadura do Proletariado, o olho por olho e dente por dente dos marxistas, iria dar lugar à Democracia de Jesus. O necessário ódio revolucionário iria dar lugar ao necessário amor revolucionário. O livro O Capital iria dar lugar às Escrituras Sagradas. O fuzil e a luta armada iriam dar lugar ao giz e à Educação. Seria este o momento em que a Revolução iria sair da sua existência invernal e conhecer a sua existência de primavera. A Revolução já não iria mais tomar o lado de uma classe social contra outra classe social, como fez Lênin em 17 e Moisés no passado remoto, mas iria tomar o lado de todos contra o pecado, até que o pecado foi extirpado de todos os corações. Eis então novos céus, nova terra e um novo homem. O mar já não é. Já não existe nem mais exploradores e nem mais explorados, mas uma família única que direciona toda a produção para a satisfação das necessidades da sociedade, uma sociedade que se tornou austera, econômica, só querendo o estritamente necessário.

E se o Governo do Reino SEGUNDO A LEI aconteceu no país Rússia a verdade é que no Brasil ia se manifestar o Governo do Reino SEGUNDO A GRAÇA. E começamos, transcendentemente, a ter pistas porque o Líder Edir Macedo construiu no Brasil um Templo que remonta o imaginário aos templos bíblicos de Salomão. O reino messiânico, que na Rússia se manifestou na forma da Lei, está na iminência de se manifestar na forma da Graça no país Brasil. (Na profecia de John Acquila Brown, de 1823, falando sobre o Trono de Javé vago desde a destruição de seu último rei, Zedequias, ao profetizar que o mesmo seria novamente estabelecido é claro que não seria mais o restabelecer simples da nação de Israel, mas algo sublimado que só entendemos como sendo então o estabelecimento do reino messiânico. Pois diz que neste ano de 1917 iria se manifestar “a glória plena de Israel”. Só podemos entender esta glória plena como sendo o reino messiânico, assim como nos legado pelos profetas de Israel em especial Isaías.

Bem, como foi dito o fruto quando aparece, junto dele, com ele, aparece a sua respectiva semente então o Templo de Salomão construído no bairro do Brás na cidade de São Paulo seria na verdade o aparecimento desta semente? A presença dos símbolos judaicos que anunciavam ou prefiguravam o reino messiânico se manifestando no Brasil seriam indícios da chegada do reino messiânico? O reino messiânico está às portas? O Brasil está a um passo para receber em seu ventre tão grande dádiva, se convertendo no centro irradiador de uma nova cultura, de uma nova civilização, Pátria do Evangelho e Coração do Mundo, palavras surgidas na década de 30 e que na década de 50 foi endossado pelo sábio italiano Pietro Ubaldo?

O Governo do Reino, reino messiânico, teria realmente estes dois lados, dois momentos, revivedores da Lei e da Graça? Ele estaria se deslocando da Rússia para o Brasil de modo as duas nações estarem umbilicalmente ligadas? Ora, alguém tem dificuldade em perceber nos tucanos e no PT revivências históricas dos cadetes e mencheviques russos? Há alguma diferença entre FHC e Paulo Milyukov; e entre Lula e Kerensky? Adamir Gerson está interpolando entre eles a categoria de Espelho Histórico. Olhando no Espelho Histórico então irão ter reação diferente da que tiveram cadetes e mencheviques quando a filosofia não conhecia e não trabalhava com o conceito de Espelho Histórico que remete o devir histórico diretamente à Transcendência. Ao se reconhecer como tal então no lugar de reagir ao advento do Reino Messiânico passarão a se colocar do seu lado e a ajudar o mesmo a se propagar por toda a terra, como respectivamente fizeram Pedro e Paulo ao mando de Jesus.

Mas, porque mesmo o Líder Edir Macedo inaugurou neste ano de 2014 o Templo de Salomão? Cumprimento da profecia saída da boca de Jesus referente à geração que não passaria sem que todas estas coisas acontecessem. E se entende estas coisas como sendo as da Parúsia.

Adamir Gerson tem situado o início da geração que não passaria sem que todas as coisas acontecessem no ano de 1917. Mais especificamente que no dia 02 de novembro do ano de 1917 tanto pela assinatura da Declaração Balfour como neste dia 02 de novembro doze líderes bolcheviques se reuniram e decidiram a Revolução. E como o profeta Isaías situou biologicamente em cem anos o tempo de uma geração isto significa dizer que tal se cumpre nos anos de 2017 e 2018. Mas, como a preparação para o início da Geração começou em 1914, a inauguração do Templo de Salomão no Brasil marca o início do fim da Geração.

Cristovam Buarque

Adamir Gerson falou que a Geração de Jesus que não passaria sem que todas estas coisas acontecessem o seu ponto de início foi o final do ano de 1917 e a primavera de 1918, mas a sua preparação se deu no ano de 1914, e está dizendo que ela se consumará em 2017 e 2018. Temos alguma coisa que aponta para os anos de 2017 e 2018?

Primeiro: Adamir Gerson tem um companheiro de pensamento, Carlos Batista, e no ano de 2012 foi atrás de sua ajuda para alavancar apoio e realizar A Grande Caminhada que é então o momento em que a Humanidade realiza a sua travessia do Jordão espiritual (porque naqueles anos de 1917 e 1920 foi o período em que a Humanidade efetuou a travessia do seu Mar Vermelho espiritual). E Carlos Batista simplesmente respondeu: Não adianta. Este movimento só vai nascer no ano de 1918. Um ano depois Carlos Batista voltou novamente a enfatizar que o movimento só iria nascer em 2018. Na primeira vez Adamir Gerson interpretou como se ele estivesse criando um álibi para não se envolver na obra, mas na segunda vez Adamir Gerson começou a ficar pensativo que aquele movimento que intentava colocar em ação estava traçado por Deus para nascer em 2018. No ano de 1981 saiu pela primeira vez para colocá-lo em prática, e agora começava a entender que seu ano fosse mesmo 2018.

Segundo: No discurso que proferiu no dia 10 de junho deste ano de 2014, Cristovam Buarque, uma voz discordante do apoio do PDT à reeleição de Dilma, na sua visão não só o PSDB se esgotou como também agora o PT e que se tornou urgente pensar um novo modelo de desenvolvimento, ora, surpreendendo os presentes Cristovam Buarque se voltou com esperança para o ano de 2018. Na visão dele o Brasil iria continuar ladeira abaixo, tudo piorando, indo de mal a pior, e então em 2018 o Brasil estaria preparado para receber novo modelo. E Cristovam Buarque lançou um apelo àqueles que o ouviam: Vamos nos preparar para 2018!

É feito a pergunta: o que levou Cristovam Buarque a olhar com esperança para o ano de 2018? Apático politicamente neste ano de 2014, cético com seu partido, quando todos acreditavam que Cristovam Buarque não tinha mais interesse pelo Palácio do Planalto eis que surpreendeu a todos chamando a todos a olhar e a se preparar para o ano de 2018 que o Brasil iria necessitar de uma nova condução política, para além de PSDB e para além de PT. A reação de Cristovam Buarque teria sido na verdade toque do Espírito de Deus?
Mas, porque mesmo Cristovam Buarque? Adamir Gerson ao ter falado sobre o aparecimento do reino messiânico e dizendo que estava se metamorfoseando da Rússia para o Brasil estaria agora dizendo que Cristovam Buarque seria o homem de sua responsabilidade?

Ora, é um fato que Deus escolhe pessoas para a sua obra desde o ventre. E é um fato se Lênin foi escolhido desde o ventre para gerenciar o Governo do Reino pelo lado da Lei o homem a quem Deus escolheu para gerenciar o Governo do Reino pelo lado da Graça é mesmo o senador brasiliense Cristovam Buarque. Cristovam Buarque é o mesmo Lênin, apenas que o Lênin que saiu do estágio verde e amadureceu. Não é mais fruto verde, mas agora fruto maduro e alimento de todos. Como Moisés que ao amadurecer eis a figura de Jesus!

Cristovam Buarque teria sido o homem escolhido e preparado por Deus para gerenciar o Governo do Reino ao nascer como Graça? Vejamos.

No ano de 1978 Adamir Gerson teve o seu encontro teofânico e no ano de 1981 saiu pela primeira vez para tornar público o que a Divindade lhe revelara até aquele momento. Como a revelação dizia respeito ao Governo do Reino então Adamir Gerson passou a colocar nas mãos de políticos do Brasil a sua fundamentação na esperança de que se interessassem e envidassem esforços para a sua materialização. E a partir daquele ano de 81 Adamir Gerson não mais deixou de enviar trabalhos do Governo do Reino para políticos do Brasil inteiro, de todos os partidos, de todas as ideologias. Não houve uma semana sequer sem que tenha ficado sem enviar trabalhos do Reino para políticos e intelectuais do Brasil inteiro. Não somente entregava pessoalmente em suas mãos, e fez isto em Brasília, Piracicaba, São Bernardo do Campo, São Paulo, Rio de Janeiro, Londrina, como enviava a eles via Correios. Não obstante nem um único se dignou ao menos em lhe dar resposta ou mesmo acusando o recebimento do material. Nestes trinta e poucos anos com certeza mais de trezentos incluindo o próprio, logicamente.

Mas, no meio dessa enxurrada houve um que se dignou a uma resposta, Cristovam Buarque. A primeira vez que enviou a ele trabalhos do Reino foi por volta do ano de 95, diretamente em sua residência, em Brasília. E, dias depois, recebeu retorno, com Cristovam Buarque tecendo elogio ao que leu apenas se queixando da dificuldade na sua leitura, pois o trabalho fora feito à mão.

Depois do final de 2002 quando Adamir Gerson descobriu e passou a usar a Internet, recebeu mais dois retornos de Cristovam. E vejam este: De: "Sen. Cristovam Buarque" Para: "Gerson Soares de Melo" Carta empolgante ,gostaria de ler o livro "Acendendo a Fogueira". Abraço, Cristovam.

É feito a pergunta: porque político algum teve interesse pelo trabalho político que Adamir Gerson vos enviou? Porque conceitos como o de Governo de Cristo, História Cristofinalizada, Reducionismo Teológico Absoluto para a História, Deus Está No Comando, não lhes causava interesse senão que entendiam o esforço de alguém para “ressuscitar” o que a História e a Ciência tinham sepultado como foi a reação de um jovem em um grupo de filosofia: Joga para fora do grupo este nosso amigo pré-socrático que fica a noite revolvendo o lixo da História e de dia vem infectar o grupo com o seu mau cheiro?

E esta pergunta engendra outra: e porque o senador Cristovam Buarque demonstrou, senão apreço, ao menos respeito pelo que leu de Adamir Gerson? O que o levou a clamar: Gostaria de ler o livro Acendendo a Fogueira? Seria sinal de que se Lênin foi escolhido e preparado por Deus para fazer a revolução e gerenciar o Governo de Cristo Segundo a Lei Cristovam Buarque teria sido escolhido e preparado por Deus para desencadear a revolução brasileira, a revolução do espírito, gerenciando o Governo de Cristo Segundo a Graça?

E se é assim, então os Ministros da Palavra de Deus, católicos e evangélicos, bem como Ministros de outras religiões, devem começar a olhar com esperança para Cristovam Buarque e devem desde já se preparar e começar a trabalhar para que no cumprimento da profecia de Jesus, a da geração que não passaria sem que todas estas coisas acontecessem, nos anos de 2017 e 2018 a terra passe a estar sob o domínio Daquele que veio para que todos tivessem vida e vida em abundância.

No discurso que proferiu agora no mês de junho Cristovam Buarque ao clamar para que se preparasse para 2018 se dirigiu diretamente ao seu partido, o PDT. Segundo ele o PDT não nasceu com a missão de ocupar um quartinho no fundo do Palácio, mas com a missão de mudar o Brasil, de fazer nascer uma nova nação. O legado que vem de Alberto Pasqualini, de Getúlio Vargas, de João Goulart, de Darci Ribeiro e de Brizola não permitia ao PDT esse atual acomodamento com as migalhas do poder. O PDT era muito mais.

Logicamente que Cristovam Buarque se dirigiu ao PDT porque no presente atual este é o único instrumento a que pode se apegar. Mas a bem dizer estamos na iminência da superação do próprio Trabalhismo. Precisamos superar esse abismo que se formou entre as camadas populares e a intelectualidade, já denunciado no final da década de 30 por Horkheimer. A dose de secularismo que a intelectualidade fecundou ou quis fecundar nas massas populares foi muito forte. O Trabalhismo, refletindo a abertura do Socialismo Democrático, não refletiu a abertura da Escola de Frankfurt. Uma abertura na direção das elites pensantes e das elites que compõe o corpo dirigente do mundo; um diálogo com elas, entre elas. Não houve abertura na direção das massas populares com elas continuando entregues ao pão e ao circo dos dominadores. E Marx foi muito oportuno e produtivo quando disse que as mudanças tinham de ter o dedo e a mão dos trabalhadores. As mudanças podem nascer nas elites de pensamento, mas tem de penetrar no espírito das massas e se converter em força de transformação. E é tão certo que o Trabalhismo foi esse secularismo que praticamente a quase totalidade dos evangélicos nunca souberam que Brizola era protestante.

Pois é, como não se deita vinho novo em odres velhos ou se remenda pano velho, ora, como o que está prestes a nascer no Brasil é algo que em larga medida esteve presente no espírito dos fundadores do trabalhismo brasileiro, em especial de Leonel Brizola, mas este algo novo é muito mais, transcende-e em muito, então Adamir Gerson está propondo a criação de um novo, partido, que teria a missão de organizar e conduzir a revolução brasileira. O que está na iminência de nascer é o reino messiânico e não tem como nascer por intermédio de instrumentos não familiarizado com o pensamento. Cada qual no seu quadrado, como diz o recente jargão popular.

A bem dizer este novo partido já nasceu junto com o pensamento. Na década de 80 quando o PT nascia este partido nascia junto com ele. Naquele início da década de 80 Adamir Gerson o chamou de Partido Messiânico, o PM, depois, querendo reviver o sonho partidário de Frei Clodovis Boff passou a chamá-lo pelo nome de Partido Cristão, depois de PURD, Partido Universal do Reino de Deus, depois de PSC, Partido do Socialismo Celestial, e por ultimo de PAREPAR, PArtido da REconstrução do PARaíso.

E será um partido realmente vivo. De vivos e não de mortos. Independentemente das estâncias de poder superiores ele construirá o poder popular. Nas bases. Ao realizar no campo político o trabalho que os cristãos realizaram no campo religioso na metade do século I, as massas que se acordarão para a construção do reino messiânico serão direcionadas a criar uma infinidade de organismos populares, todos eles entrelaçados entre si, se reunindo semanalmente, mensalmente e anualmente.

Que homens e mulheres, deixando que os mortos enterrem seus mortos, comecem a se interessar pelo PAREPAR e a construí-lo em sua cidade. Que os jovens se interessem pelo reino messiânico e comecem a criar a Juventude Celestial em suas cidades. Sim, que os jovens meditem sobre Isaías e se entendam a si mesmos como estes príncipes que governariam para o juízo. Vamos hastear alto, a bandeira do reino messiânico porque quem irá colocar fim a esse estado de coisas pecaminosas há de ser mesmo o reino messiânico e não mais reinos humanos, que se esgotaram, e não tem mais nada a oferecer senão a troca de nomes a conduzir coisas velhas. Saiu a ditadura, entrou o PMDB; saiu o PMDB entrou o PSDB; saiu o PSDB e entrou o PT e não há quem estanque o sofrimento. Assassinatos, roubos, corrupção, descaso na saúde pública, na educação, apenas tem aumentado, a cada governo que entrou.

Agora mesmo, na campanha eleitoral, o candidato do PSB, Eduardo Campos disse da necessidade de se criar novos valores, de costumes e de política, o que lembra o PT quando na oposição. O PT foi ao poder e estes novos valores apareceram? Não apareceu com o PT e não aparecerá com o PSB, porque quem porta novos valores é somente o reino messiânico.

Porque portar novos valores e estes novos valores não vier das massas populares, mas da elite de pensamento, estes novos valores é literalmente o deitar vinho novo em odres velhos. Foi exatamente isto que aconteceu com o PT.
Só se pode falar em novos valores quem porta o poder e a capacidade de revolver os profundos da alma popular e fazê-las subir à superfície. Então os novos valores acabarão se impondo. Foi isto, exatamente isto, que ocorreu com os bolcheviques na Rússia.

E qual seria o símbolo do novo partido que tanto poderá se chamar PAREPAR como outro nome? Adamir Gerson e seu grupo restrito que nunca conseguiu congregar mais do que três, trabalharam com muitos símbolos. Parece-me que certa vez Carlos Batista propôs a estrela de Davi com um fundo vermelho. As seis pontas do seu triângulo representariam a estrutura do espírito, a saber: moral, espiritual, intelectual, filosófica, profética e messiânica.

Depois surgiu nova proposta, a Estrela de Davi e sobre ela uma rosa aberta e se levantando da rosa a pomba branca da paz do Espírito de Deus. Aquela pomba que voltou a Noé trazendo no bico um ramo de oliveira anunciando a chegada da vida e aquela pomba que desceu sobre Jesus quando se batizou.

Mas, recentemente, premido pela inauguração do Templo de Salomão, e a consciência clara de ato de transcendentalidade, da Transcendência, que age como quer com quem quer, sem pedir opinião ou conselho de quem quer que seja Adamir Gerson está se inclinando para adotar como símbolo do Partido simplesmente a Arca do Pacto.  Por vários motivos.

PRIMEIRO. No presente trabalho Adamir Gerson tem falado amiúde que os acontecimentos da revolução russa foi o estabelecimento do Governo de Cristo, pelo lado da Lei e não pelo lado da Graça. E como foi falado que um estudante da Bíblia por nome Charles Tasse Russel no ano de sua morte, 1916, profetizou o estabelecimento do Governo do Reino como revivência histórica da ação de Moisés no Egito – como Faraó reagiu aos escravos hebreus quando era arrancado do reino da opressão e levado para o reino de sua liberdade, a contra-revolução faraónica – de igual modo o Faraó moderno iria reagir ao estabelecimento do Governo do Reino. E como tudo realmente aconteceu, veio a revolução, veio a reação das vinte e uma nações covardes, e os revolucionários não obstante emergiram vitorioso, ora, a partir das palavras proféticas de Charles Tasse Russel e do conteúdo dos acontecimentos da revolução russa, repetição histórica dos acontecimentos do Êxodo bíblico, não podemos dizer o que realmente ocorreu entre aqueles aos de 1917 e 1920 foi que a Humanidade-Revolução efetuou a travessia do seu Mar Vermelho Espiritual?
Ora, se de fato o que ocorreu no final da década de 20 do século passado foi que realmente a Humanidade-Revolução efetuou a travessia do seu Mar Vermelho Espiritual isto significa dizer que a equação matemática, o antítipo, necessita de um acontecimento que representa a travessia do rio Jordão. A Humanidade-Revolução iria ter uma segunda travessia, e agora o Jordão Espiritual.

Antes de prosseguir Adamir Gerson trará esclarecimentos, lançará luz porque esse Charles Tasse Russel profetizou um segundo Êxodo na História. Adamir Gerson tem visto muitas críticas ácidas a este Charles Tasse Russel o chamando de falso profeta, o homem que profetizou um novo levante de Faraó e passou o ano de 17, de 18, de 19, de 20 e ninguém nunca viu isto. Não é bem assim. E Adamir Gerson vai lançar luz sobre esta questão porque estas pessoas em larga medida têm razão nas suas críticas ácidas a Charles Tasse Russel, porque, como diz a Palavra de Deus, as coisas reveladas pertencem a nós, mas as ocultas a Deus. Estas pessoas são sinceras, tem feito tal na defesa da Palavra de Deus, para preservar a sua credibilidade perante a opinião pública. De modo que elas abrindo o seu coração e a sua mente (interessante que Pascal disse que o conhecimento não nasce na mente, mas no coração. A sua matéria-prima é elaborada no coração e depois será trabalhada pela mente que dará forma a este conteúdo), sim, com o coração e a mente abertos então tudo isto que é parte das coisas ocultas de Deus será uma realidade na vida de todos.

Isaías 19.20 está profetizando um novo Êxodo. Um novo Êxodo paralelo, da mesma essência.

E este segundo Êxodo começa a escapar dos símbolos de Israel em Tiago. Tiago o esvazia por quase completo de Israel. Por quase completo porque Tiago não obstante conceber uma nova categoria de povo de Deus, de Povo Escolhido, todavia conserva o Deus de Israel. Ora, Tiago tomando esta profecia de Isaías a projeta para o futuro de si, para o final dos tempos, e então vê os trabalhadores clamando a Deus por causa dos opressores. Segundo Tiago esse clamor dos trabalhadores a Deus seria porque os opressores iriam reter os seus salários. Trabalhariam, mas não receberiam segundo o trabalhado.

Isaías, Tiago, e o que aconteceu naquele ano de 1916, às vésperas de acontecer, foi que o Deus que não faz nada sem antes revelar aos seus escravos, os profetas, então consumou em Charles Tasse Russel a profecia que dera originalmente a Isaías e a tinha ratificou em Tiago (Tiago 5).

Prosseguindo. Bem, se naqueles anos de 1917, 1918, 1919, 1920 deu-se mesmo a Travessia do Mar Vermelho Espiritual a verdade é que na outra ponta da profecia de Jesus sobre a geração que não passaria sem que todas estas coisas acontecessem então se dará a travessia do Jordão Espiritual. A Humanidade-Revolução que teve o seu Mar Vermelho naqueles anos de 1917, 1918, terá o seu Rio Jordão nestes anos de 2017 e 2018. E evidente que toda a sua preparação já começando no ano de 2014.

Se Adamir Gerson trouxe profecias que vaticinaram um segundo Êxodo, Isaías e Tiago – quando Jesus disse: Ai de vós, ricos... E Sofonias: e nem a sua prata e nem o seu ouro os livrará no dia da ira de Jávé, logicamente que se observa em Jesus e em Sofonias este segundo Êxodo em potência – há profecia ou profecias que descreveriam um segundo Jordão? Sim, Apocalipse 19.19. Esta batalha travada pelo cavaleiro de Apocalipse 19.11, ele junto com o seu exército, contra a besta e os reis da terra é o arquétipo da batalha que Josué travou contra os reis de Canaã. A besta e os reis da terra se unem para unanimemente travar guerra com o cavaleiro do cavalo branco porque no fundamento tipológico assim que os escravos de Israel atravessaram o Jordão e informados, então os reis de Canaã começaram a se aglomerar: E sucedeu que, assim que isto foi ouvido por todos os reis que se achavam do lado do Jordão na região montanhosa e no Sefelá, e ao longo de toda a costa do Grande Mar, e defronte do Líbano, os hititas e os amorreus, os cananeus, os perizeus, os heveus e os jebuseus, todos eles começaram a reunir-se para unanimemente travar guerra contra Josué e Israel.

Bem, porque então o símbolo do partido seria a Arca do Pacto? Porque na travessia do Jordão a Arca do Pacto seguiu nos ombros de sacerdote na frente do povo e indicando o caminho. O Partido, nas mãos dos sacerdotes de Deus, há de seguir na frente guiando a Humanidade na caminhada do Milênio.

E é importante analisar que primeiro a Arca do Pacto seguiu na frente do povo, indicando o caminho, mas quando os pés dos sacerdotes carregadores da Arca do Pacto tocaram as águas do rio Jordão então eles ficaram imóveis, parados, enquanto o povo fazia a travessia. O que é isto? Que o Partido tem de ser mesmo a vanguarda das massas, tem de ir à frente, abrindo caminho, mostrando o caminho, mas depois as massas terão de passar a vanguarda. Sairão da retaguarda e irão para a vanguarda.

SEGUNDO. Ora, é um fato inconteste que o conteúdo da Arca do Pacto, todo o seu conteúdo, é o conteúdo do Partido. No Partido está as duas Tábuas da lei, o jarro contendo o maná e a vara de Arão florescida.

A luta pelo socialismo não pára. Ela está prestes a se levantar em nova figura de espírito, onde a luta de classe dará lugar à luta de transformação de classe. Mas a luta por um reino de igualdade, de liberdade, de fraternidade, que falharam na revolução franco-burguesa e na revolução russo-socialista, ela não pára. Só há de descansar quando toda a terra estiver debaixo de ICoríntios 10.24: Que cada um persista em buscar, não a sua própria vantagem, mas a da outra pessoa. Só há de parar quando o mar não mais for.

E queiram ou não esta luta está ali, dentro do jarro de ouro que Deus mandou Moisés colocar dentro da Arca do Pacto. O Maná, que Deus mandou Moisés colocar dentro do jarro de ouro, é e representa a luta do socialismo, a luta por uma terra de igualdade, em que cada um tem segundo as suas necessidades, não as ditadas por uma ideologia, quer a marxista que dita necessidade de ateísmo, quer a burguesa que dita a necessidade de consumismo, mas as necessidades ditadas por Deus no nascimento de cada um: “(...) E de manhã se havia formado uma camada de orvalho em volta do acampamento. Com o tempo, a camada de orvalho se evaporava e eis que havia na superfície do deserto uma coisa miúda, flocosa, miúda como a geada sobre a terra. Quando os filhos de Israel chegaram a vê-la, começaram a dizer uns aos outros: ‘Que é isto?’ Pois não sabiam o que era. Moisés disse-lhes, portanto: ‘É o pão que Javé vos deu por alimento. Esta é a palavra que Javé vos ordenou: “Colhei disso, cada um proporcionalmente ao que come. Deveis tomar a medida de um gômor para cada um, segundo o número de almas que cada um de vós tem na sua tenda.”’ E os filhos de Israel começaram a fazer isso; e foram apanhá-lo, alguns recolhendo muito e outros recolhendo pouco. Quando o mediam pelo gômor, quem tinha recolhido muito não tinha sobra e quem tinha recolhido pouco não tinha falta. Apanharam-no cada um proporcionalmente ao que comia. Êxodo16.13-18.

Mas, dentro do Jarro, junto com o Maná, também estava – a vara de Arão que florescera. De que forma isto é conteúdo do Partido? Ora, é fato que Lênin voltando do exílio e um mês depois se encontrando com Trotsky, que também veio do exílio, nos Estados Unidos, e os dois formando uma aliança de vida e de força e indo fazer a revolução, quebrando os grilhões dos opressores e principiando a guiar os trabalhadores na direção do socialismo, para o lugar que tempos antes Marx viu como de descanso dos oprimidos, ora, tal foi o antítipo daquele momento em que Moisés ao voltar para o Egito e então se encontrou com Arão. E os dois tendo selado uma aliança de vida e de vitória então foram libertar os escravos hebreus e os guiar na direção de Canaã, para o lugar que tempos antes Abraão viu como de descanso de sua descendência peregrina e oprimida. Assim, pois, se Lênin é o antítipo de Moisés, Trotsky, por sua vez, é o antítipo de Arão.

E porque a Palavra de Deus narra essa questão do bastão de Arão que florescera? Porque estava havendo muito resmungo sobre quem Deus escolhia. E para cessar o resmungo então Deus fez que cada cabeça das tribos de Israel tomasse seu bastão e escrevesse nele seu nome e o depositasse na tenda de reunião diante do Testemunho. E aquele que Deus escolhesse então o seu bastão iria florescer. E o nome de Arão foi escrito sobre o bastão da tribo de Levi. E sucedeu, no dia seguinte, quando Moisés entrou na tenda do Testemunho, eis que havia florescido o bastão de Arão, para a casa de Levi, e produzira botões e brotara flores, e dera amêndoas maduras.

E então é feito a pergunta: e que relação há entre o bastão de Arão florescido e Trotsky? É que o pensamento de Trotsky, em larga medida, será ressuscitado. A Revolução Mundial que não decolou em Trotsky, no tempo de Trotsky, e não decolou em Che Guevara, no tempo de Che Guevara, tem chegado o seu tempo, como também tem chegado o tempo de Plekhanov e de Proudhon (mas agora não é ocasião para se abordar tal questão mesmo porque estes que chegam não são mais com a roupagem do passado, mas em nova indumentária).

E é feito uma segunda pergunta relacionada aquela: e qual o significado do bastão de Arão ter florescido para a Casa de Levi e ter produzido botões e brotado flores, e dado amêndoas maduras? A Revolução Mundial tanto em Trotsky como em Che Guevara estava no seu estágio verde. Adamir Gerson tem dito repetidas vezes que o Marxismo foi o fruto do Reino, mas no seu estágio verde, revivedor de Moisés e do Judaísmo, e que o fruto do Reino iria se manifestar no seu estágio maduro, revivedor de Jesus e do Cristianismo. Pois é, o florescimento do bastão de Arão para a Casa de Levi significa o florescimento do pensamento de Trotsky, no conteúdo e não mais na forma. A antiga forma com novo conteúdo. A revolução mundial agora há de se levantar com o novo conteúdo do Cristianismo e de Jesus. Não será mais um assalto final para destruir a burguesia e instaurar no lugar o comunismo, como se achou em Trotsky e em Che Guevara, mas este assalto final será para evangelizar toda a burguesia; transformá-la, dar a ela um novo entendimento. Fazer do seu coração de pedra coração de carne. De modo que podemos dizer que houve uma transfiguração do exército guerrilheiro, de homens e mulheres empunhando na mão o fuzil e confiando no poder do fuzil para submeter a reação, em um novo exército de homens e mulheres empunhando na mão a Palavra de Deus para através dela mostrar para todos, não somente para a burguesia, mas também para os trabalhadores, uma nova forma de se viver segundo a prescrição dos profetas de Israel, de Jesus e dos seus apóstolos. É este o profundo significado de Apocalipse 14.6.

Que Cristovam Buarque e aqueles que estão próximos meditem sobre tudo isto. Que há um Chamado do Alto para se engajar nas boas novas de eternas. Deus revelou para Marx o embasamento teórico do Governo de Cristo segundo a Lei, e criou o Lênin para que ele fosse seus materializador. Pois é, a mesma relação que houve entre Marx e Lênin deva ser a mesma que há entre Adamir Gerson e Cristovam Buarque. A Adamir Gerson Deus deu o embasamento teórico do Governo de Cristo SEGUNDO A GRAÇA, e é mais do que evidente que tem escolhido e preparado Cristovam Buarque para ser o homem que o materializará como forma de governo.

Adamir Gerson falou da necessidade de se criar um novo Partido. Bem, Cristovam Buarque pode começar já agora um trabalho para que simplesmente haja a incorporação do PDT ao novo Partido e, a partir desta incorporação, então fazê-lo crescer a tal ponto que em apenas um ano já será dez vezes maior que o PDT, em número de filiados, de simpatizantes, de adeptos, e de pessoas que se apresentarão para concorrer por ele nas eleições de 2016. Um número grande de cidades brasileiras haverão de estar sob o domínio dos celestiais, das forças do Reino, das forças dos reis do nascente do sol (Apocalipse 16.12) já a partir de 2016. E o seu número cada vez irá aumentando, pois as massas brasileiras se acordaram politicamente, e começaram a defenestrar da política brasileira estes cananeus e amorreus que apenas pensam nos seus interesses.

E se a incorporação não for possível então que se trabalhe para que a militância do PDT venha para este novo existir político. Vindo, uma multidão que está em outros apriscos políticos também virão.

Para encerrar quero voltar à questão do Templo de Salomão construído pelo Líder Edir Macedo e, como profeta, lançar mais luz sobre esta questão que tem causado mal-estar em líderes religiosos. Os esclarecimentos são para que emitam juízos, não, porém, apressados; que procurem ver a questão com o olhar do espírito que esclarece o que Deus realmente está fazendo.

No ano de 2001, aproximadamente, Adamir Gerson recebeu do seu Deus a revelação de que a cidade de Londrina fora construída com propósitos divinos, servir de palco para a ressurreição do socialismo. A presciência de Deus sabia o socialismo em um corpo mortal, o Marxismo, mas carregava em oculto um segundo corpo, guardado para a ressurreição. Não mais no corpo do materialismo e do ateísmo, mas agora no corpo da Transcendência.

Mas, formou-se um impasse. Este corpo novo não podia nascer em Londres, onde Marx está sepulto, porque o mesmo vinha sendo gestado para nascer no Brasil e em nenhum outro lugar. E não podia nascer em Londres, na Inglaterra, porque embora Marx esteja ali sepulto, todavia o seu lugar de nascimento seria o Brasil. Então a Divindade resolveu o impasse por enviar capitalistas ingleses e aqui no Brasil, no norte do Paraná, fundaram uma cidade que lhe deram o sugestivo nome: NORTE NOVO DE LONDRINA!

Era como Deus tivesse transportado Londres para o Brasil. Uma Londres em miniatura. Pois foi este mesmo transporte que Deus fez com o Templo de Salomão porque é no Brasil que vinha sendo gestado o Reino Salomônico conforme descrição de Salmo 72. Mesmo porque o profeta Isaías vaticinou sobre o “homem da terra distante” que seria chamado para executar o seu conselho. O que se entende uma terra muito longe, fora de Israel. É certo que esse homem “de uma terra distante” – seja uma referência a Ciro persa, mas Ciro persa apenas portou os fundamentos tipológicos messiânicos sem, no entanto, ter sido Messias ou feito a obra messiânica.

No que diz respeito à cidade de Londrina é bem possível que o novo Partido nascendo no Brasil, com a militância abandonando estes partidos de esquerda e se passando para a nova militância, sim, como é certo a necessidade de um Encontro Nacional, é bem possível que este Encontro Nacional seja realizado na cidade de Londrina. Londrina se converteria no símbolo da transformação das esquerdas. Passa a ser o lugar onde sepultam o poder do fuzil e lançam mão do poder do Evangelho.

Findam aqui estas palavras de Adamir Gerson. Ora vem Senhor Jesus e completa a obra grandiosa, que já começastes a realizar no ano de 2014. A porta da Parúsia que já começou a ser aberta seja completamente escancarada com todos vendo no espírito a vinda Daquele que haveria de vir com poder e grande glória e entregar o Reino para o domínio e a condução dos seus sacerdotes e dos seus reis.










Nenhum comentário:

Postar um comentário